Música e Diálogo

13 abril, 2015

A Música Potiguar vai se reunir com a FJA nessa quarta (15 de Abril, 18h), para o diálogo cultural que a instituição vem fazendo com os segmentos artísticos no estado. Semana passada, em reunião da Rede Potiguar de Música – RPM, que teve como pauta inclusive a rearticulação do Fórum Permanente de Música – FPM/RN, foram definidos os principais eixos que servirão para embasar as propostas relativas à efetivação de uma política pública para a área, tanto na capital quanto no interior: Circulação e Registro.

Nesse sentido, em atenção a demandas que atendam aos mais diferentes gêneros e diversificações existentes na música daqui, esses 2 pilares poderão por ora dar sustentação a um movimento estruturante para o setor, possibilitando que a partir dessas duas alternativas seja viabilizado e implementado um programa que dê suporte por parte do poder público a uma atenção necessária e merecida à nossa produção musical.

Historicamente, não tivemos até então qualquer período em que um apoio das instituições culturais haja contribuído de maneira determinante para a promoção de nossa cena musical, a não ser através de acordos de compadres, o que minimizou o alcance do que nossos artistas poderiam ter realizado se tivessem a algum tempo contado com um incentivo mais estratégico. Não deu. Mas nunca é tarde para começar, e se até ontem foi assim, ainda é tempo de perceber que desse jeito não pode ficar.

Sem dúvida, faltou amadurecimento dos próprios músicos no que diz respeito a uma unificação de prioridades, em detrimento de um entendimento egoísta que quando muito trouxe benefícios a um pequeno grupo, quando não a uma só personalidade com alta influência e bom trânsito nos gabinetes. Mas uma nova oportunidade se abre com o advento da implantação do Sistema Nacional de Cultura, e em contrapartida, dos próprios sistemas municipal e estadual, uns sendo gestados outros já em andamento, permitindo a sociedade civil uma maior participatividade, se organizada.

Assim, estamos convictos de que para cessar a inércia estendida através dos incontáveis anos em relação à ausência de uma política pública para a música do RN, se faz inadiável a disposição dos interessados em fortalecer essa articulação com os agentes dos governos, em suas três esferas (Município, Estado, União), apresentando uma cartilha com intenções claras e objetivos realistas, fazendo com que possamos nos dar as mãos e dar continuidade a essa caminhada, com passos que estejam ao alcance de nossos pés.

Esso Alencar
REDE POTIGUAR DE MÚSICA
FÓRUM PERMANENTE DE MÚSICA/RN
COOPERATIVA DA MÚSICA POTIGUAR

leia a coluna a/cEsso

Me visite no Sítio!

Anúncios